Escute este artigo
Image for post
Fonte: Imagem própria (2017)

Obviamente, a intenção não é questionar sobre a aplicação da fórmula em si, mas sim, propor uma reflexão sobre a aprendizagem que o modelo tradicional vem aplicando.

Com algumas referências de testes, esse artigo pode dar alguns caminhos para você encontrar seu "aprender a aprender".

Essa temática "aprender a aprender" apareceu em uma conversa liderada pela empresa Meiuca sobre: Ensino e Aprendizagem, todas as muitas formas de aprender , que participei e me fez refletir sobre algumas experiências. No meu contexto como professor/instrutor, eu sinto que explicar algo que aprendi para outra pessoa, favorece minha assimilação. Pronto: identifiquei o meu "aprender a aprender".

Ter essa sensação de ambiente de aprendizado me faz absorver melhor o conteúdo. Além disso, é um excelente exercício de narrativa, especialmente quando se tem um público diverso, pois o mesmo conteúdo precisa de adaptação seja para o público corporativo seja para Designers. A própria dinâmica de interação e questionamento desses estudantes também é um momento de reflexão sobre a atualização do conteúdo, a aplicação da teoria no contexto e a adequação das palavras.

O artigo: A pedagogia do "aprender a aprender" e algumas ilusões da assim chamada sociedade do conhecimento, traz 4 posicionamentos interessantes referente ao tema, a partir disso, trago algumas reflexões do autor Newton Duarte:

1. "Aquilo que o indivíduo aprende por si mesmo é superior, em termos educativos e sociais, àquilo que ele aprende através da transmissão por outras pessoas."

Essa citação me faz pensar no perfil de aprendizagem de cada pessoa, ou seja, característica da personalidade e o modo de absorver refletem, por exemplo, na eficiência e na eficácia do aprendizado. Outro exemplo, um conteúdo teórico falado por 50 minutos versus aplicação na prática tendo a própria pessoa como protagonista, ou mesmo, aprender com o próprio erro com a intenção de melhorar ou iterar.

Existe um mapeamento de estilo de aprendizagem, idealizado pelo professor David Kolb, que apresentou um estudo que identifica que podemos mapear o processo de aprendizagem sobre dois eixos: processamento (como fazemos as coisas) e percepção (como pensamos sobre as coisas). Esse artigo ajudará você encontrar o seu estilo.

O autoconhecimento do próprio aprendizado é um elemento importante para identificar como potencializar o seu melhor modo de aprender, ao mesmo tempo, um bom exercício para se desafiar para alterná-los com estímulos diferentes.

Esse momento de descoberta está relacionado ao próximo item, sobre a construção do conhecimento.

2. "O método de construção do conhecimento é mais importante do que o conhecimento já produzido socialmente."

Se interpretado incorretamente, o trecho "mais importante do que o conhecimento já produzido" pode ser interpretada como a não necessidade ao estudo do conhecimento passado e histórico. Pra mim, é fundamental e importante entender essa base, para experimentar o próprio método de construção.

Já imaginou se o modelo imposto pelos portugueses quando chegaram ao Brasil em 1500 não fosse uma relação de poder territorial frente aos indígenas que aqui habitavam? Certamente a construção de conhecimento mútuo entre as 2 culturas poderia resultar em um ambiente rico de aprendizado (sim, uma utopia).

Retornando aos dias atuais, um bom exemplo de construção de conhecimento que experimentei foi com meu orientador da pós-graduação Marcio Fabio Leite, que me estimulou no aprofundamento do processo de design, pelas várias formas de investigação e pesquisa, ao invés de focar no resultado em si. A entrega, foi uma série de insights e possíveis caminhos interessantes que constituiu o meu trabalho de conclusão de curso. A construção do conhecimento foi fundamental para o meu aprendizado.

Essa reflexão também está em sintonia quando eu realizei o teste de estilo de aprendizagem, ao qual, o resultado foi uma abordagem prática e vivencial.

3) "A atividade do aluno, para ser verdadeiramente educativa, deve ser impulsionada e dirigida pelos interesses e necessidades da própria criança."

Essa citação traz consigo um trabalho reflexivo e contemplativo sobre o autoconhecimento e até mesmo mapeamento do propósito individual. Vale ressaltar que o ambiente e o contexto também precisa ser considerado.

Se a criança tiver acesso a diversos tipos de estímulos educacionais pode ajudar nessa descoberta e contribuir nessa jornada. O cientista Howard Gardner relata o conceito de outros tipos de inteligência (espacial, interpessoal, musical entre outros) e contribuindo nessa mesma linha segue um texto complementar: 9 tipos de inteligência e as aplicações no mundo do trabalho

Com esse mesmo viés, seria a construção da sua motivação e seu propósito, um método nessa vertente é o IKIGAI.

4) "A educação deve preparar os indivíduos para acompanharem a sociedade em acelerado processo de mudança."

Citando o conceito de sociedade 5.0, em que o foco do desenvolvimento de soluções tecnológicas é o bem-estar humano, a qualidade de vida e a resolução de problemas sociais, essa idéia traz a reflexão e reforça o papel da educação na formação do indivíduo nessa sociedade contemporânea.

Um ponto que acredito que ajudaria o indivíduo nesse "acompanhamento da sociedade em transformação" seria o incentivo, desde a infância, relacionado à valores complementares em que habilidades como relacionamento interpessoal e empatia fosse tão importante quanto disciplinas já consolidadas. O filósofo Clovis de Barros Filho acrescenta que "Não temos professores que nos ensine a convivência" (assistir a partir de 38 minutos). Em convergência com esse tema, o texto na FORBES relata o excessivo foco na hard skills.

Esse artigo é apenas um recorte do tema "aprender a aprender", em que não foram considerados o papel do Estado na formação do indivíduo, o papel da estrutura familiar e questões de suprimento das necessidades básicas do cidadão e da sociedade, que interferem diretamente no aprendizado.

A proposta é contribuir para seu próprio modo de "aprender a aprender" que, ao mapear seu estilo de aprendizagem e o IKIGAI, podem trazer reflexões e associações interessantes na sua jornada de aprendizagem.

Quem é você, vamos conversar?

Sinta-se a vontade para me escrever: rafaelmiashiro@gmail.com

Deploy.me
Desenvolva sua carreira em UX Design, Produto e Dados com bootcamps imersivos, práticos e de curta duração com facilitadores das principais startups do Brasil e do mundo. How. Skills, not degrees.
15%OFF código:
DESIGN2021

Explore outros temas

Reflexões sobre a Escuta no Design de Experiências

Denise Rocha
Denise Rocha

Visualizando os dados da comunidade de UX no Brasil

Carolina Leslie
Carolina Leslie

O design pode mudar o mundo

Renato Paixão
Renato Paixão

O Product Designer está fora de forma?

Marco Moreira
Marco Moreira

O bom design durante os sintomas da pandemia

David Arty
David Arty

Designer Produteiro

Robson Ramos
Robson Ramos

Uma carta para a Crítica

Vitor Amorim
Vitor Amorim

Liderança inclusiva, design e autoconhecimento

Thaly Sanches
Thaly Sanches

Que em 2021 tenhamos tempo, dinheiro e saúde para fazer a diferença

Thiago Hassu
Thiago Hassu

Perspectivas visuais e um conceito social (talvez) necessário

Eduardo Arce
Eduardo Arce

O design não vai salvar o mundo! Ou vai?

Bruna Castro
Bruna Castro

Design, liderança e ambientes seguros: reflexões e sugestões

Vinícius Vieira
Vinícius Vieira

Design e cultura de experimentação

Leandro Lima
Leandro Lima

E se a inovação pudesse ser guiada por processos de design mais colaborativos?

Larisa Paes de Lima
Larisa Paes de Lima

Designer é solucionador de problemas ou colonizador?

Fernando França
Fernando França

Empreender e pivotar na profissão designer

Marcelo Leal Felix
Marcelo Leal Felix

Por que designers devem aprender No-Code em 2021?

Caio Calderari
Caio Calderari

Precisamos falar sobre saúde mental em design

Marianna Piacesi
Marianna Piacesi

O designer nômade

Leo Ehrlich
Leo Ehrlich

Uma nova visão holística do design

Bel Araújo
Bel Araújo

Liderança e Maternidade: Qualquer semelhança não é mera coincidência

Bruna Amancio
Bruna Amancio

Confissões de um designer apaixonado

Jane Vita
Jane Vita

21 coisas que tem que acabar em UX design para 2021

Rafaela de Souza da Silva
Rafaela de Souza da Silva

Multiculturalismo remoto

Tai Civita
Tai Civita

A inevitável mudança do Design no "pós-pandemia"

Thoz
Thoz

UX Research na Era Inteligente

Gabriel Bastos
Gabriel Bastos

A crescente importância de tudo o que não sabemos

Bruno Canato
Bruno Canato

A antiga, porém nova verdade sobre DesignOps

Guilherme Gonzalez
Guilherme Gonzalez

Como quase ter virado um Product Manager me fez ser um Product Designer melhor

Filipe Bitencourt
Filipe Bitencourt

Desobediências conceituais no Design

Andrei Gurgel
Andrei Gurgel

Designer Sobrevivente

Humberto Matos Valério da Silva
Humberto Matos Valério da Silva

O conceito equivocado de público-alvo que exclui pessoas

Talita Pagani
Talita Pagani

UX Writing: o desafio constante de aprender a se comunicar

Camila Gaidarji
Camila Gaidarji

Não coma o marshmallow

Camila Borja
Camila Borja

Design para um time

Thais Yabuuti
Thais Yabuuti

Na contemporaneidade, o que não é design?

Isadora Ribeiro dos Santos
Isadora Ribeiro dos Santos

Fale com o seu ambiente e as novas experiências conversacionais

Caio Calado
Caio Calado

UX e o Amanhã da Profissão

Amyris Fernandez
Amyris Fernandez

Design como ferramenta para um mundo melhor

Camila Moletta
Camila Moletta

Design como fator de mudança para processos, cultura e maturidade nas empresas

Bruce Namatame
Bruce Namatame

Líderes do presente

Juliana Marcenal
Juliana Marcenal

O Designer é a Interface - Desafios do design e experiência do usuário em tempos de isolamento social

Ubiratan Silva
Ubiratan Silva

A motivação por trás de novos hábitos

Nathalia Cabral
Nathalia Cabral

Design, um esporte coletivo e colaborativo

Beto Lima
Beto Lima

Design é uma conversa cultural

Julia Nascimento
Julia Nascimento

O Design e os trem por trás das coisa: Soft Skills, Multipotenciais e Polímatas

Brunão
Brunão

A síndrome de impostor no design, o “outro” inatingível e ambientes tóxicos

Thomas Castro
Thomas Castro

2021: um ano para recomeçar (?)

Koji Pereira
Koji Pereira

Receita de UX Designer

Leandro Rezende
Leandro Rezende

O futuro é plural

Paola Sales
Paola Sales

Você aprende aquilo com que se importa

Denise Pilar
Denise Pilar

Cultura de UX sob aspecto da linguagem

Melina Alves
Melina Alves

POs e PMs e suas relações com acessibilidade

Livia Gabos
Livia Gabos

Transição de carreira e diversidade

Liliane Oliveira
Liliane Oliveira

Design realmente centrado no humano

Nina Telles
Nina Telles

Co-design: Não é só sobre Design

Wander Vieira
Wander Vieira

Design Ético: como nós, pessoas que consomem e desenvolvem, podemos atuar

Bianca Brancaleone
Bianca Brancaleone

A visão de um designer que acredita na política do seu dia-a-dia aplicada a sociedade brasileira

Henrique Peixe
Henrique Peixe

Como a escuta no Design vem se tornando uma aliada em uma sociedade mais inclusiva

Valéria Reis
Valéria Reis

UX + LGPD. A privacidade do usuário na era dos dados

Hideki Katsumoto
Hideki Katsumoto

Aprendizados para 2021 sobre a acessibilidade digital em 2020

Liliane Claudia
Liliane Claudia

Sua experiência com o futuro do trabalho está diretamente relacionada a quanto você se conhece

Kpelo
Kpelo

Pensando design além da interface

Juliana Akemi Segawa Cangussu
Juliana Akemi Segawa Cangussu

3 passos para mudança do mindset do time comercial

Rafael Xavier
Rafael Xavier

É responsabilidade de quem?

Vinícius Gomes
Vinícius Gomes

Por uma comunidade de design mais aberta e colaborativa

Karina Tronkos
Karina Tronkos

Design ético em pauta

Lucas Cruz
Lucas Cruz

A Maturidade do Designer UX

Ioná Dourado
Ioná Dourado

Como construir maturidade de Design em empresas em transformação digital

Bianca Faraj
Bianca Faraj

Liderança em Design: 5 dicas para quem quer virar Líder de Design

Victor Zanini
Victor Zanini

Um convite para a auto-descoberta

Karen Tie
Karen Tie

Inovação em design organizacional: como ser prático na prática? 🚀

Eduardo Maia
Eduardo Maia

Subiu, e agora? Como medir o sucesso e a performance do Design

Fernanda Magalhães
Fernanda Magalhães

Experiência do Usuário Surdo

Beatriz Lonskis
Beatriz Lonskis

Design não é para todos, mas pode ser

Valéria Romano
Valéria Romano

Finalmente uma descentralização geográfica do design brasileiro?

Larissa Trindade
Larissa Trindade

Faça seu design orientado por dados

Mumtaz Mesania
Mumtaz Mesania

Se você quiser voar, precisa soltar o que te puxa para baixo

Tereza Alux
Tereza Alux

Você já foi um designer iniciante, Design no interior e Michael Scott

Felipe Marinelli
Felipe Marinelli

O que 2021 promete, além da vacina? Design Ops e Acessibilidade!

Paulo Aguilera Filho
Paulo Aguilera Filho

Como você enxerga o Design?

Monica Barros
Monica Barros

O papel do designer na desconstrução do ciclo da invisibilidade

Joyce Rocha
Joyce Rocha

Vamos parar de falar em Produto e vamos falar em Design de Serviço?

Erico Fileno
Erico Fileno

Design de experiência contra o racismo algorítmico

Polli Lopes
Polli Lopes

Como vamos projetar serviços e produtos digitais na era da economia de vigilância?

Janayna Velozo
Janayna Velozo

Voltando às raízes para um design acessível

Maju Santos
Maju Santos

A Jornada do Mentor - Como se tornar um herói em UX

Sheylla Lima Souza
Sheylla Lima Souza

O Design no ano 21 do século 21: educação e trabalho pela cibercultura

André Grilo
André Grilo

Designers will design

Juliana Morozowski
Juliana Morozowski

Levei 8 anos para me definir como UX designer. E eu vou te contar como.

Lais Mastelari
Lais Mastelari

Vulnerabilidade e o primeiro passo contra a impostora

Tamy Lemos
Tamy Lemos

Pare de seguir os velhos padrões visuais

Raniel Oliveira
Raniel Oliveira

ROI do Design e o Cafezinho

Felipe Melo Guimarães
Felipe Melo Guimarães

Design do Amanhã

Natalí Garcia
Natalí Garcia

"Fosse ou não à escola, eu estudava."

Ariana Dias Neves
Ariana Dias Neves

As pegadinhas do nosso cérebro

Renata Carriel
Renata Carriel

UX Design não é modinha, é negócio

Luan Mateus
Luan Mateus

UI Designer? Deus me livre, mas quem me dera!

Adelmo Neto
Adelmo Neto

Métricas de UX: O que são, onde vivem e do que se alimentam?

Rafa Brandão
Rafa Brandão

Menos sobre nomenclaturas e mais foco no que precisa ser feito

Renan Manço
Renan Manço
não clique