Arquivo 2020

ROI do Design e o Cafezinho

Felipe Melo Guimarães
Senior Product Designer na VMware Pivotal Labs e Fundador da Aela.io
Expatriado, Curioso, Educador

Na Europa desde 2015, tem mais de 13 anos de experiência, é Master Certified em UX (UXMC) pela Nielsen Norman Group e mestrando em Design Management na Northumbria University. Founder da Aela.io e Senior Product Designer na VMware Pivotal Labs em UK, realizando projetos para enterprises globais. Anteriormente esteve na SAP Concur em Praga, e foi consultor para empresas com atuação na República Tcheca, México, Suíça, EUA, UK, Canadá e Brazil, além de ter sido freelancer da Toptal US.

Felipe Melo Guimarães
Escute este artigo

No final de 2020, fui convidado por uma empresa para realização de palestra interna para o time de design. A ideia era realizar a colaboração de algum conteúdo relevante, de algo que os designers tivessem como aplicar nos projetos dos clientes diversos.

Minha primeira ação foi conversar com a organizadora para entender um pouco mais sobre como o time de design trabalhava e os desafios que tinham. Foi uma boa conversa e sai com diversas ideias de possibilidades, mas além disso ela fez uma pesquisa interna e como resultado dois tópicos surgiram: 'ROI do Design' e 'Como entregar valor em qualquer tipo de negócio'.

Isso me fez ficar alguns dias refletindo, me fazendo pensar nos diversos projetos que realizei para enterprises nos últimos 4 anos na Europa, mas principalmente sobre as mudanças que aconteceram nesse ano de 2020.

Já recebi, por diversas vezes, esse pedido para falar sobre ROI do Design e também vejo diversos conteúdos que aparecem a todo momento sobre esse tema na internet.

Na mesma hora pensei: Não faz sentido falar sobre ROI do Design.

Não me entenda mal, esse tópico é sim muito importante, mas também é um tópico razoavelmente complexo e que, ao meu ver, faz muito mais sentido para empresas que têm um nível alto de maturidade em UX em Produtos Digitais.

Ao longo dos meus 14 anos de profissão, tive poucos momentos em que identifiquei alta maturidade em UX nas empresas. Quase sempre - para não falar sempre - eu realizei muito trabalho de evangelização e treinamento nessas empresas, e nesses meus anos na Europa não foi diferente.

Isso me fez perceber que a grande maioria das empresas tem um nível de maturidade médio, baixo ou muito baixo.

Como nós trabalhamos e o que acontece antes de verificarmos o resultado do nosso Design?

Em diversas empresas, o processo de Design acontece de uma forma bem tradicional. O time de design - ou único designer - realiza estudos diversos, monta protótipo e UI final, depois organiza algum tipo de documentação de projeto para realizar o handoff para o time de desenvolvimento. Esse time de desenvolvimento pega o material - no Jira - com user stories escrito pelo PO e começa então a desenvolver, conversando bem pouco com o time de design.

Análise > Design > Implementação > Testes

Essa é uma sequência normal que acontece em diversas empresas, ainda hoje em dia.

Esse cenário considera o mundo perfeito e quase sempre acontecem problemas, sendo um deles muito grave.

Esses problemas acontecem em diversos momentos, mas em geral, ainda mais durante os testes e algumas vezes os produtos implementados não fazem nenhum sentido, tendo então que reunir o time para verificar o que fazer.

Mas o que acontece quando erros aparecem nos testes desse mundo perfeito? Alguém logo irá considerar para quem deve apontar o dedo. De quem é a culpa desse erro? Eu fiz minha parte bem feita, quem é o culpado?

Infelizmente isso é mais comum do que parece e a verdade é que todos são culpados. Todos.

Como resolver isso?

Esse período refletindo, me fez perceber como diversos problemas similares foram resolvidos ou até evitados. 

É aí que entra o ROI do Design Colaborativo.

Nós Designers precisamos sempre ter em mente que o Design só está pronto quando está na mão dos usuários e para isso é preciso que todo o desenvolvimento do produto seja feito de uma boa forma. Isso se torna mais interessante quando se percebe que os produtos estão em eterna evolução e por isso - O Design nunca acaba.

Colaboração não é montar Google Design Sprint ou workshops de Design Thinking. É lógico que esses workshops são muito importantes e sim, uma forma de colaborar. Mas se engana quem pensa que tem um processo de trabalho colaborativo apenas fazendo isso.

Nós Designers podemos e devemos nos envolver em muito mais, tornando cada pequeno momento do projeto, algo colaborativo.

Refletindo sobre os tópicos que escrevi aqui anteriormente: Que tal sentar ao lado do PO e escrever juntos as user stories? Ou sentar ao lado do programador para verificar junto a implementação do front-end, tendo assim a chance de mudar detalhes no design que estavam tornando a vida do programador mais complicada?

Design Colaborativo é se envolver em todas as etapas do projeto, com todos os colegas do time. Todos.

O ROI do café no Design

Estudo de Caso: Em 2017, tive a oportunidade de participar do grande projeto milionário de transformação digital da CEMEX, uma empresa global com escritórios em quase todo o mundo. Eu fui o primeiro Designer contratado no escritório de Praga e cheguei lá pouco depois das festas de ano novo.

Cheguei bem animado para conhecer a todos e começar. Recebi meu notebook, conversei com várias pessoas e então o lead de inovação me falou: Você irá se juntar ao squad 8, sendo um produto muito importante para a empresa, mas que está passando por problemas sérios no momento.

Ao perguntar o que aconteceu, me foi explicado que o PO estava bastante estressado e que a Designer anterior havia pedido para sair, após ter tido algumas crises durante o pouco tempo em que esteve no projeto.

Na hora pensei: Lá vem treta.

Em minha primeira reunião percebi que de fato o PO estava bastante agitado e nervoso, sendo que eu não consegui identificar exatamente o motivo.

No dia seguinte, o PO veio direto me pedindo algumas coisas: "Precisamos disso, disso, disso e disso. O que foi feito antes está tudo errado e não funciona."

Ficou claro que o cenário não iria permitir um bom desenvolvimento do produto e as nossas chances de falha eram altas. Mas lembrando, o produto era um dos mais importantes para a empresa, e por isso o PO estava estressado.

Pulando alguns meses na linha do tempo, a nova plataforma foi lançada com sucesso - nosso produto foi considerado um sucesso pelos executivos - os clientes estavam satisfeitos com a primeira versão, o PO teve promoção e me ofereceram a vaga de Design Lead - mas acabei tomando outro caminho.

O que aconteceu para tudo mudar?

Eu passei a tomar café com o PO todo dia. Fora do escritório.

Pode parecer algo bobo e simples, mas isso nos ajudou a entender melhor um ao outro, assim passamos a trabalhar muito melhor juntos e pouco depois passamos a envolver outras pessoas do time, como BA e desenvolvedores. O bacana é que no fim, nos tornamos amigos e nos falamos até hoje, mesmo no momento eu estando em Londres e ele em Praga.

Um ano após o lançamento, a plataforma CEMEX GO contava com mais de 20.000 clientes satisfeitos, acelerou diversos processos internos de forma incrível e com isso ajudou a valorizar as ações da empresa. Hoje essa plataforma está ainda maior e segue crescendo, sendo um case de grande sucesso.

Esse é um dos maiores aprendizados e já utilizei em diversas outras situações. Colaboração está nos pequenos detalhes, está em se conectar com todas as pessoas do seu time e isso irá gerar um grande retorno sobre todo o trabalho de design.

Colaboração durante a pandemia e 2021

A grande questão é como fazer isso agora, que estamos todos trabalhando remoto e provavelmente muitos de nós vamos continuar assim em 2021 - talvez você esteja lendo em 2030 e considere doidera essa próxima parte.

Ao longo de 2020, um dos meus projetos na VMware Pivotal Labs, foi realizar um estudo sobre o modo de trabalho e como adaptar para o cenário remoto. A Pivotal Labs é conhecida pelo trabalho colaborativo 100% do tempo e também em utilizar o método de pairing - onde sempre se trabalha em duplas.

Workshops e exercícios podem sim ser "facilmente" adaptados ao remoto - obrigado Miro! - mas descobrimos que não é tão simples quanto parece e também a "zoom fatigue", algo que não imaginávamos antes.

E como manter bons momentos de 1:1 e cafezinho?

O aprendizado até o momento e minha recomendação para 2021

O que eu aprendi nesse ano, é que devemos tornar os momentos de colaboração remota o mais simples possível, sempre buscando entender as necessidades e personalidade da outra pessoa, pois nem todos gostam de ficar em ligações o tempo todo.

Na minha experiência, é mais fácil marcar um vídeo-cafezinho com 1 pessoa, para ter uma conversa leve e assim ir aumenta o contato entre vocês, do que marcar diversas reuniões com o time.

2021 provavelmente será o ano do amadurecimento do cenário remoto e com isso precisamos também aprender a adaptar de forma cada vez melhor nossas técnicas para nos conectar com os colegas do time.

Quando foi a última vez que você tomou um café com um desenvolvedor do seu time?

Deploy.me
Desenvolva sua carreira em UX Design, Produto e Dados com bootcamps imersivos, práticos e de curta duração com facilitadores das principais startups do Brasil e do mundo. How. Skills, not degrees.
15%OFF código:
DESIGN2021

Explore outros temas

Cultura de UX sob aspecto da linguagem

Melina Alves
Melina Alves

Pare de seguir os velhos padrões visuais

Raniel Oliveira
Raniel Oliveira

2021: um ano para recomeçar (?)

Koji Pereira
Koji Pereira

Multiculturalismo remoto

Tai Civita
Tai Civita

Design Ético: como nós, pessoas que consomem e desenvolvem, podemos atuar

Bianca Brancaleone
Bianca Brancaleone

Finalmente uma descentralização geográfica do design brasileiro?

Larissa Trindade
Larissa Trindade

O conceito equivocado de público-alvo que exclui pessoas

Talita Pagani
Talita Pagani

POs e PMs e suas relações com acessibilidade

Livia Gabos
Livia Gabos

Design, um esporte coletivo e colaborativo

Beto Lima
Beto Lima

Como a escuta no Design vem se tornando uma aliada em uma sociedade mais inclusiva

Valéria Reis
Valéria Reis

O design pode mudar o mundo

Renato Paixão
Renato Paixão

Design de experiência contra o racismo algorítmico

Polli Lopes
Polli Lopes

Preparando um time para o sucesso

David Pacheco
David Pacheco

Como quase ter virado um Product Manager me fez ser um Product Designer melhor

Filipe Bitencourt
Filipe Bitencourt

A antiga, porém nova verdade sobre DesignOps

Guilherme Gonzalez
Guilherme Gonzalez

A inevitável mudança do Design no "pós-pandemia"

Thoz
Thoz

UX e o Amanhã da Profissão

Amyris Fernandez
Amyris Fernandez

Reflexões sobre a Escuta no Design de Experiências

Denise Rocha
Denise Rocha

A crescente importância de tudo o que não sabemos

Bruno Canato
Bruno Canato

O Designer é a Interface - Desafios do design e experiência do usuário em tempos de isolamento social

Ubiratan Silva
Ubiratan Silva

Design, liderança e ambientes seguros: reflexões e sugestões

Vinícius Vieira
Vinícius Vieira

Por uma comunidade de design mais aberta e colaborativa

Karina Tronkos
Karina Tronkos

Desobediências conceituais no Design

Andrei Gurgel
Andrei Gurgel

Designer Produteiro

Robson Ramos
Robson Ramos

21 coisas que tem que acabar em UX design para 2021

Rafaela de Souza da Silva
Rafaela de Souza da Silva

Sua experiência com o futuro do trabalho está diretamente relacionada a quanto você se conhece

Kpelo
Kpelo

Co-design: Não é só sobre Design

Wander Vieira
Wander Vieira

A Jornada do Mentor - Como se tornar um herói em UX

Sheylla Lima Souza
Sheylla Lima Souza

Uma nova visão holística do design

Bel Araújo
Bel Araújo

UI Designer? Deus me livre, mas quem me dera!

Adelmo Neto
Adelmo Neto

Não coma o marshmallow

Camila Borja
Camila Borja

Design e cultura de experimentação

Leandro Lima
Leandro Lima

Design para um time

Thais Yabuuti
Thais Yabuuti

Fale com o seu ambiente e as novas experiências conversacionais

Caio Calado
Caio Calado

Design do Amanhã

Natalí Garcia
Natalí Garcia

Aprendizados para 2021 sobre a acessibilidade digital em 2020

Liliane Claudia
Liliane Claudia

A Maturidade do Designer UX

Ioná Dourado
Ioná Dourado

Liderança em Design: 5 dicas para quem quer virar Líder de Design

Victor Zanini
Victor Zanini

"Fosse ou não à escola, eu estudava."

Ariana Dias Neves
Ariana Dias Neves

A visão de um designer que acredita na política do seu dia-a-dia aplicada a sociedade brasileira

Henrique Peixe
Henrique Peixe

O design não vai salvar o mundo! Ou vai?

Bruna Castro
Bruna Castro

Pensando design além da interface

Juliana Akemi Segawa Cangussu
Juliana Akemi Segawa Cangussu

Design como fator de mudança para processos, cultura e maturidade nas empresas

Bruce Namatame
Bruce Namatame

Design é uma conversa cultural

Julia Nascimento
Julia Nascimento

Voltando às raízes para um design acessível

Maju Santos
Maju Santos

Precisamos falar sobre saúde mental em design

Marianna Piacesi
Marianna Piacesi

Design realmente centrado no humano

Nina Telles
Nina Telles

Você já foi um designer iniciante, Design no interior e Michael Scott

Felipe Marinelli
Felipe Marinelli

O designer nômade

Leo Ehrlich
Leo Ehrlich

Você aprende aquilo com que se importa

Denise Pilar
Denise Pilar

O Design e os trem por trás das coisa: Soft Skills, Multipotenciais e Polímatas

Brunão
Brunão

Que em 2021 tenhamos tempo, dinheiro e saúde para fazer a diferença

Thiago Hassu
Thiago Hassu

Como Designers estamos preparados para um mundo que precisa de regeneração?

Barbara Villar
Barbara Villar

Designer é solucionador de problemas ou colonizador?

Fernando França
Fernando França

O bom design durante os sintomas da pandemia

David Arty
David Arty

Visualizando os dados da comunidade de UX no Brasil

Carolina Leslie
Carolina Leslie

Uma carta para a Crítica

Vitor Amorim
Vitor Amorim

Vulnerabilidade e o primeiro passo contra a impostora

Tamy Lemos
Tamy Lemos

Liderança inclusiva, design e autoconhecimento

Thaly Sanches
Thaly Sanches

A síndrome de impostor no design, o “outro” inatingível e ambientes tóxicos

Thomas Castro
Thomas Castro

O futuro é plural

Paola Sales
Paola Sales

Transição de carreira e diversidade

Liliane Oliveira
Liliane Oliveira

É responsabilidade de quem?

Vinícius Gomes
Vinícius Gomes

Como vamos projetar serviços e produtos digitais na era da economia de vigilância?

Janayna Velozo
Janayna Velozo

Design não é para todos, mas pode ser

Valéria Romano
Valéria Romano

Como construir maturidade de Design em empresas em transformação digital

Bianca Faraj
Bianca Faraj

Menos sobre nomenclaturas e mais foco no que precisa ser feito

Renan Manço
Renan Manço

Inovação em design organizacional: como ser prático na prática? 🚀

Eduardo Maia
Eduardo Maia

O que 2021 promete, além da vacina? Design Ops e Acessibilidade!

Paulo Aguilera Filho
Paulo Aguilera Filho

Receita de UX Designer

Leandro Rezende
Leandro Rezende

Sou Designer, onde vou usar a fórmula de bháskara?

Rafael Miashiro
Rafael Miashiro

E se a inovação pudesse ser guiada por processos de design mais colaborativos?

Larisa Paes de Lima
Larisa Paes de Lima

Designer Sobrevivente

Humberto Matos Valério da Silva
Humberto Matos Valério da Silva

Designers will design

Juliana Morozowski
Juliana Morozowski

Design ético em pauta

Lucas Cruz
Lucas Cruz

Um convite para a auto-descoberta

Karen Tie
Karen Tie

Confissões de um designer apaixonado

Jane Vita
Jane Vita

Métricas de UX: O que são, onde vivem e do que se alimentam?

Rafa Brandão
Rafa Brandão

UX Writing: o desafio constante de aprender a se comunicar

Camila Gaidarji
Camila Gaidarji

3 passos para mudança do mindset do time comercial

Rafael Xavier
Rafael Xavier

As pegadinhas do nosso cérebro

Renata Carriel
Renata Carriel

UX Design não é modinha, é negócio

Luan Mateus
Luan Mateus

Vamos parar de falar em Produto e vamos falar em Design de Serviço?

Erico Fileno
Erico Fileno

Experiência do Usuário Surdo

Beatriz Lonskis
Beatriz Lonskis

Design como ferramenta para um mundo melhor

Camila Moletta
Camila Moletta

O papel do designer na desconstrução do ciclo da invisibilidade

Joyce Rocha
Joyce Rocha

O Design no ano 21 do século 21: educação e trabalho pela cibercultura

André Grilo
André Grilo

UX + LGPD. A privacidade do usuário na era dos dados

Hideki Katsumoto
Hideki Katsumoto

Subiu, e agora? Como medir o sucesso e a performance do Design

Fernanda Magalhães
Fernanda Magalhães

Empreender e pivotar na profissão designer

Marcelo Leal Felix
Marcelo Leal Felix

UX Research na Era Inteligente

Gabriel Bastos
Gabriel Bastos

A motivação por trás de novos hábitos

Nathalia Cabral
Nathalia Cabral
não clique