Arquivo 2020

Como quase ter virado um Product Manager me fez ser um Product Designer melhor

Filipe Bitencourt
Product Designer no Reclame AQUI
Baterista, quebra-galho, boleiro

Formado em Design Gráfico e com pós em Marketing Digital. Já fiz de tudo um pouco nessa vida de designer até migrar para o time de produtos do Reclame AQUI. Não aprendi a assar pão durante a pandemia, mas joguei bastante video game.

Filipe Bitencourt
Escute este artigo

Permitam-me começar esse texto com uma reflexão profunda, filosófica e, devo dizer, revolucionária. Preparados? Lá vai:

Desenvolver produtos é difícil pra caramba.

Vivemos em um mundo cheio de incertezas (o famoso mundo VUCA - se você não conhece o termo, dá uma olhada aqui). Nascemos, crescemos, estudamos e trabalhamos em uma sociedade que ainda está entendendo o impacto das novas tecnologias no seu dia a dia. Além disso, estamos em um país (ou seria em um planeta?) marcado pelas desigualdades: de recursos, de acesso, de educação, etc. A cereja dessa torta de climão? A pandemia que mudou drasticamente todos os planos que foram feitos ao pular as ondinhas no dia 1 de janeiro de 2020.

Nesse contexto, está o nosso famigerado produto digital. Uma solução tecnológica, desenvolvida por um time multidisciplinar, que busca resolver os problemas de uma pessoa em um contexto específico. Nesse time multidisciplinar estão designers, desenvolvedores, profissionais de marketing, vendas, atendimento e suporte, além de uma figura enigmática: o Product Manager - nosso querido PM.

Você pode estar se perguntando, "Por que enigmática, caro autor?". Ora, porque, na minha humilde opinião, ninguém tem certeza absoluta de quais são as atribuições de um Product Manager. De forma mais ou menos consensual, o mercado entende que o PM deve facilitar o desenvolvimento de produtos em uma empresa, conciliando os aspectos técnicos de implementação (a mão na massa) com a visão estratégica de negócio (o planejamento de médio e longo prazo) - esse vídeo do Nubank faz um resumo legal de como eles encaram essa posição.

Josh Anon e Carlos González de Villaumbrosia, do Product School, no livro "The Product Book" (que é de graça e pode ser baixado nesse link) dão exemplos mais práticos sobre as responsabilidades de um PM:

"No dia a dia, os PMs devem entender tanto a estratégia quanto a execução dos negócios. Eles devem primeiro descobrir quem são os clientes e quais os problemas que os clientes têm. Eles devem saber como definir uma visão, encontrando as oportunidades certas em um mar de possibilidades, usando dados e intuição. Eles devem saber como definir o sucesso, para o cliente e o produto, priorizando fazer o que é certo em vez de fazer o que é mais fácil. Eles devem saber como trabalhar com engenheiros e designers para obter o produto certo, mantendo-o o mais simples possível. Eles precisam saber como trabalhar com marketing para explicar ao cliente como o produto preenche melhor as necessidades do cliente do que o produto de um concorrente. Eles precisam fazer o 111. O Que é o Product Management que for necessário para ajudar a lançar o produto, encontrando soluções em vez de desculpas. Às vezes, isso significa até mesmo um PM indo buscar café para uma equipe, que está trabalhando longas horas, para demonstrar apreço."

No meio de tudo isso, cheguei em um momento da minha carreira, há 6 meses atrás, que, imagino, deve ter acontecido com muitos designers antes de mim: deveria eu virar um Product Manager?

Momento flashback - Seria eu um PM em pele de PD?

Para entender minha crise de identidade profissional, é necessário um pouco de contexto.

Trabalho no Reclame AQUI há 5 anos (sim, dá pra reclamar do Reclame AQUI no Reclame AQUI). Porém, na maior parte desse tempo atuei no time de marketing, fazendo minha transição para o time de produtos há 1 ano e meio.

Pouco depois da minha transição, um novo Product Manager entrou no Reclame AQUI e formamos um par dedicado a um dos produtos da empresa. Nesse período, minha experiência como veterano de RA aliada à experiência dele como veterano de mercado definiu nosso fluxo de trabalho. Por isso, muitas das nossas funções ficaram "misturadas". Costumávamos dizer que eu era um co-PM do produto.

Com a saída recente desse PM, um pensamento pairou na minha mente - seria o momento de assumir de vez a posição de Product Manager? Essa dúvida me assombrou por um tempo, deu alguma dor de cabeça e um pouco de insônia. No fim, decidi continuar sendo um designer, e agora, tal qual grandes nomes antes de mim, transformo minhas inseguranças em conteúdo para a internet.

O que aprendi sendo um co-PM?

Antes de mais nada, é importante ressaltar: não acredito que Product Managers e Product Designers façam "a mesma coisa". Tampouco defendo que um PD assuma as duas funções em um time.

A propósito, a própria posição de Product Designer já é, por si só, difícil de definir. Vou me apropriar da definição que usamos no Reclame AQUI para tentar dar algum contexto: Product Designer é um profissional que usa métodos e técnicas de design para propor soluções "produtizáveis" que resolvam problemas de pessoas. Ele acompanha todo o processo de pesquisa e descoberta, geração de hipóteses, prototipação, desenho de interface, aprovação e entrega da solução para o time de desenvolvimento.

Como falei lá em cima, é responsabilidade de um PM facilitar o desenvolvimento de produtos. Quando essa facilitação tem a ver com o design de produtos, ela não significa apenas "tirar as pedras do caminho" do designer. Eu acredito que os papéis de PMs e PDs se misturam naturalmente, como eu exemplifico nesse gráfico extremamente científico e preciso:

PMs e PDs tem responsabilidades complementares. Porém, enquanto muitas vezes os PDs mantém sua visão focada em aspectos tradicionalmente relacionados ao design de produtos, os PMs constróem uma visão holística de funcionamento, visão estratégica e posicionamento de negócios. E é aí que podemos aprender.

Mas como isso é um conteúdo para internet, nada melhor do que uma boa lista. Então vamos lá. Essas são as 3 coisas que aprendi sendo um co-PM:

1 - Aproximação com o dia a dia dos times

Atire a primeira pedra quem nunca pensou "não é possível que essa galera tava fazendo o trabalho desse jeito nesse tempo todo". Normalmente, você pensa isso em uma reunião de discovery ao perceber que seu time financeiro precisa baixar dados de um sistema, abrir esses dados no Excel, fazer uma fórmula complexa para no final conseguir te dizer quais empresas usam o plano gratuito do seu produto.

Esse exemplo pode parecer esdrúxulo, mas eu tenho certeza que alguém na sua empresa está suspirando de dor agora mesmo, ao fazer um trabalho manual que você poderia ter resolvido com um botão a mais em uma interface.

Um PM, por característica da função, está conversando constantemente com todas as áreas que permeiam o produto. Isso dá a ele uma visão ampla das necessidades de melhoria, tanto para seus stakeholders internos quanto para seus usuários.

Quando o PD também possui essa visão, começam a surgir novas oportunidades de entrega de valor. Essas oportunidades muitas vezes estão escondidas em processos nebulosos, em gambiarras bem intencionadas, em fluxos pouco inteligentes, mas que são feitos da mesma forma há tanto tempo, que ninguém mais se incomoda. A propósito, falando em entrega de valor...

2 - Entrega contínua de valor

Valor é um negócio difícil de definir, mas dá pra resumir de um jeito simplista: se seus stakeholders ficaram mais felizes depois da sua entrega, você entregou algo de valor. Essa entrega pode ser tão grande quanto um redesign completo de uma plataforma ou tão pequena quanto uma alteração de texto. Ela só tem uma regra - precisa ser constante.

Essa filosofia de entrega de valor é muito comum em metodologias ágeis. Espera-se que um time ágil tenha capacidade de iterar um produto em períodos curtos - as famosas sprints - e evoluir constantemente. Isso não é diferente da mentalidade que se espera de um designer. O que muda, geralmente, é o tempo.

Não é incomum ouvir designers reclamando de tempo. Sempre falta tempo para fazer uma última entrevista, para redesenhar um teste que não funcionou como se esperava, para aplicar uma dinâmica de cocriação com toda a equipe… E é verdade, sempre vai faltar tempo para tudo isso, porque essas atividades podem ser infinitas. A cada teste realizado, outras dúvidas e hipóteses surgirão, até que alguém decida parar de testar e focar em uma ideia.

Ter uma noção mais clara do que é valor para o seu produto ajuda a definir até onde você precisa explorar novas soluções e qual o fluxo de entrega ideal para contribuir com a evolução do trabalho do seu time.

3 - Design de produtos é design de sistemas

Vou admitir: sempre me sinto mais completo quando minha solução final de design é uma bela de uma interface. Sou designer gráfico de formação, adoro trabalhar com cores, formas, tipografias e, principalmente, sombras (tudo fica mais descolado com box shadow, quem discorda tá errado).

Entretanto, existem diversas oportunidades de melhoria de design indo além da interface. Seja em regras de negócio, em fluxos de captação e tratamento de dados ou até em tecnologias empregadas, todas as decisões "por trás dos panos" impactam diretamente a qualidade da experiência do usuário com um produto.

Como Product Designer, é importante conhecer essas decisões profundamente. Assim, você será capaz de ajudar a encontrar formas de evoluir esses sistemas ou identificar suas limitações para guiar o usuário no melhor fluxo o possível. No fim do dia, suas interfaces serão muito mais eficazes e seus box shadow poderão brilhar.

Conclusão: Afinal, quem faz o que?

Como dizia o sábio (no começo desse texto), desenvolver produtos é difícil pra caramba. Diferentes times têm diferentes contextos, e o que vale para mim muito possivelmente não fará o menor sentido para você.

Porém, acredito que uma coisa é certa. Todo time de produtos que se preze precisa construir uma visão holística de como gerar valor para todos os seus stakeholders: seus usuários, seus investidores e o próprio time.

De modo geral, o mercado atribui a responsabilidade de definir essa visão ao Product Manager. O que eu proponho é que nós, Product Designers, temos muito a aprender participando ativamente da definição dessa visão.

Deploy.me
Desenvolva sua carreira em UX Design, Produto e Dados com bootcamps imersivos, práticos e de curta duração com facilitadores das principais startups do Brasil e do mundo. How. Skills, not degrees.
15%OFF código:
DESIGN2021

Explore outros temas

Designer Produteiro

Robson Ramos
Robson Ramos

Design e cultura de experimentação

Leandro Lima
Leandro Lima

Liderança inclusiva, design e autoconhecimento

Thaly Sanches
Thaly Sanches

UX e o Amanhã da Profissão

Amyris Fernandez
Amyris Fernandez

Design para um time

Thais Yabuuti
Thais Yabuuti

Sou Designer, onde vou usar a fórmula de bháskara?

Rafael Miashiro
Rafael Miashiro

Visualizando os dados da comunidade de UX no Brasil

Carolina Leslie
Carolina Leslie

Design ético em pauta

Lucas Cruz
Lucas Cruz

Por uma comunidade de design mais aberta e colaborativa

Karina Tronkos
Karina Tronkos

O bom design durante os sintomas da pandemia

David Arty
David Arty

ROI do Design e o Cafezinho

Felipe Melo Guimarães
Felipe Melo Guimarães

UX Design não é modinha, é negócio

Luan Mateus
Luan Mateus

Faça seu design orientado por dados

Mumtaz Mesania
Mumtaz Mesania

É responsabilidade de quem?

Vinícius Gomes
Vinícius Gomes

O Product Designer está fora de forma?

Marco Moreira
Marco Moreira

O Design no ano 21 do século 21: educação e trabalho pela cibercultura

André Grilo
André Grilo

Sua experiência com o futuro do trabalho está diretamente relacionada a quanto você se conhece

Kpelo
Kpelo

Reflexões sobre a Escuta no Design de Experiências

Denise Rocha
Denise Rocha

A síndrome de impostor no design, o “outro” inatingível e ambientes tóxicos

Thomas Castro
Thomas Castro

As pegadinhas do nosso cérebro

Renata Carriel
Renata Carriel

Líderes do presente

Juliana Marcenal
Juliana Marcenal

Confissões de um designer apaixonado

Jane Vita
Jane Vita

Design realmente centrado no humano

Nina Telles
Nina Telles

Na contemporaneidade, o que não é design?

Isadora Ribeiro dos Santos
Isadora Ribeiro dos Santos

Liderança e Maternidade: Qualquer semelhança não é mera coincidência

Bruna Amancio
Bruna Amancio

Um convite para a auto-descoberta

Karen Tie
Karen Tie

E se a inovação pudesse ser guiada por processos de design mais colaborativos?

Larisa Paes de Lima
Larisa Paes de Lima

Como você enxerga o Design?

Monica Barros
Monica Barros

Precisamos falar sobre saúde mental em design

Marianna Piacesi
Marianna Piacesi

Métricas de UX: O que são, onde vivem e do que se alimentam?

Rafa Brandão
Rafa Brandão

Design como fator de mudança para processos, cultura e maturidade nas empresas

Bruce Namatame
Bruce Namatame

2021: um ano para recomeçar (?)

Koji Pereira
Koji Pereira

O papel do designer na desconstrução do ciclo da invisibilidade

Joyce Rocha
Joyce Rocha

Você aprende aquilo com que se importa

Denise Pilar
Denise Pilar

Designers will design

Juliana Morozowski
Juliana Morozowski

Se você quiser voar, precisa soltar o que te puxa para baixo

Tereza Alux
Tereza Alux

Receita de UX Designer

Leandro Rezende
Leandro Rezende

Experiência do Usuário Surdo

Beatriz Lonskis
Beatriz Lonskis

A motivação por trás de novos hábitos

Nathalia Cabral
Nathalia Cabral

Preparando um time para o sucesso

David Pacheco
David Pacheco

POs e PMs e suas relações com acessibilidade

Livia Gabos
Livia Gabos

Design como ferramenta para um mundo melhor

Camila Moletta
Camila Moletta

UX + LGPD. A privacidade do usuário na era dos dados

Hideki Katsumoto
Hideki Katsumoto

O Designer é a Interface - Desafios do design e experiência do usuário em tempos de isolamento social

Ubiratan Silva
Ubiratan Silva

Perspectivas visuais e um conceito social (talvez) necessário

Eduardo Arce
Eduardo Arce

A visão de um designer que acredita na política do seu dia-a-dia aplicada a sociedade brasileira

Henrique Peixe
Henrique Peixe

Pensando design além da interface

Juliana Akemi Segawa Cangussu
Juliana Akemi Segawa Cangussu

Desobediências conceituais no Design

Andrei Gurgel
Andrei Gurgel

Como construir maturidade de Design em empresas em transformação digital

Bianca Faraj
Bianca Faraj

Design não é para todos, mas pode ser

Valéria Romano
Valéria Romano

A Maturidade do Designer UX

Ioná Dourado
Ioná Dourado

Empreender e pivotar na profissão designer

Marcelo Leal Felix
Marcelo Leal Felix

Menos sobre nomenclaturas e mais foco no que precisa ser feito

Renan Manço
Renan Manço

Design de experiência contra o racismo algorítmico

Polli Lopes
Polli Lopes

Transição de carreira e diversidade

Liliane Oliveira
Liliane Oliveira

A antiga, porém nova verdade sobre DesignOps

Guilherme Gonzalez
Guilherme Gonzalez

A inevitável mudança do Design no "pós-pandemia"

Thoz
Thoz

Design Ético: como nós, pessoas que consomem e desenvolvem, podemos atuar

Bianca Brancaleone
Bianca Brancaleone

Design, liderança e ambientes seguros: reflexões e sugestões

Vinícius Vieira
Vinícius Vieira

Designer Sobrevivente

Humberto Matos Valério da Silva
Humberto Matos Valério da Silva

O conceito equivocado de público-alvo que exclui pessoas

Talita Pagani
Talita Pagani

Designer é solucionador de problemas ou colonizador?

Fernando França
Fernando França

Voltando às raízes para um design acessível

Maju Santos
Maju Santos

Multiculturalismo remoto

Tai Civita
Tai Civita

Por que designers devem aprender No-Code em 2021?

Caio Calderari
Caio Calderari

Como a escuta no Design vem se tornando uma aliada em uma sociedade mais inclusiva

Valéria Reis
Valéria Reis

Vamos parar de falar em Produto e vamos falar em Design de Serviço?

Erico Fileno
Erico Fileno

Finalmente uma descentralização geográfica do design brasileiro?

Larissa Trindade
Larissa Trindade

"Fosse ou não à escola, eu estudava."

Ariana Dias Neves
Ariana Dias Neves

Inovação em design organizacional: como ser prático na prática? 🚀

Eduardo Maia
Eduardo Maia

Cultura de UX sob aspecto da linguagem

Melina Alves
Melina Alves

Design, um esporte coletivo e colaborativo

Beto Lima
Beto Lima

Co-design: Não é só sobre Design

Wander Vieira
Wander Vieira

Como Designers estamos preparados para um mundo que precisa de regeneração?

Barbara Villar
Barbara Villar

Uma nova visão holística do design

Bel Araújo
Bel Araújo

A Jornada do Mentor - Como se tornar um herói em UX

Sheylla Lima Souza
Sheylla Lima Souza

Design do Amanhã

Natalí Garcia
Natalí Garcia

Fale com o seu ambiente e as novas experiências conversacionais

Caio Calado
Caio Calado

Pare de seguir os velhos padrões visuais

Raniel Oliveira
Raniel Oliveira

3 passos para mudança do mindset do time comercial

Rafael Xavier
Rafael Xavier

Levei 8 anos para me definir como UX designer. E eu vou te contar como.

Lais Mastelari
Lais Mastelari

Uma carta para a Crítica

Vitor Amorim
Vitor Amorim

Aprendizados para 2021 sobre a acessibilidade digital em 2020

Liliane Claudia
Liliane Claudia

UX Research na Era Inteligente

Gabriel Bastos
Gabriel Bastos

A crescente importância de tudo o que não sabemos

Bruno Canato
Bruno Canato

Que em 2021 tenhamos tempo, dinheiro e saúde para fazer a diferença

Thiago Hassu
Thiago Hassu

O designer nômade

Leo Ehrlich
Leo Ehrlich

O futuro é plural

Paola Sales
Paola Sales

Como vamos projetar serviços e produtos digitais na era da economia de vigilância?

Janayna Velozo
Janayna Velozo

Você já foi um designer iniciante, Design no interior e Michael Scott

Felipe Marinelli
Felipe Marinelli

Design é uma conversa cultural

Julia Nascimento
Julia Nascimento

UX Writing: o desafio constante de aprender a se comunicar

Camila Gaidarji
Camila Gaidarji

UI Designer? Deus me livre, mas quem me dera!

Adelmo Neto
Adelmo Neto

O design pode mudar o mundo

Renato Paixão
Renato Paixão

O que 2021 promete, além da vacina? Design Ops e Acessibilidade!

Paulo Aguilera Filho
Paulo Aguilera Filho

Não coma o marshmallow

Camila Borja
Camila Borja

O Design e os trem por trás das coisa: Soft Skills, Multipotenciais e Polímatas

Brunão
Brunão

O design não vai salvar o mundo! Ou vai?

Bruna Castro
Bruna Castro

21 coisas que tem que acabar em UX design para 2021

Rafaela de Souza da Silva
Rafaela de Souza da Silva

Liderança em Design: 5 dicas para quem quer virar Líder de Design

Victor Zanini
Victor Zanini
não clique