Arquivo 2020

A motivação por trás de novos hábitos

Nathalia Cabral
Product Designer na adidas Runtastic
Pederneirense feminista de riso frouxo

Meu nome é Nathalia Cabral, sou de Pederneiras-SP e sou Product Designer na adidas Runtastic. Trabalho e moro na Áustria desde 2019, mas antes disso trabalhei por três anos na Red Ventures em São Paulo como UI Designer. Sou formada em Design de Produto pela Universidade Estadual Paulista e durante a graduação tive a possibilidade de estudar em duas universidades americanas, a Missouri State University e a Academy of Art University, através do programa Ciência sem Fronteiras, além de ter trabalhado no início da carreira em empresas Bauruenses como a MStech e Arca Solutions.

Nathalia Cabral
Escute este artigo
Foto: LanaStock

Em nosso cotidiano, estamos tão habituados a certas rotinas ou atividades que às vezes as fazemos sem nem perceber. Segundo uma pesquisa realizada pela Universidade de Duke, 40% das ações realizadas durante nosso dia são hábitos que realizamos no “piloto automático”.

Por conta desses hábitos automáticos nosso cérebro tem espaço para aprender e absorver novos costumes. Acordar cedo, sentir fome na hora do almoço, beber três garrafas de água por dia, assistir a mais um episódio daquela série, escovar os dentes antes de dormir… São inúmeros os hábitos que já temos no decorrer do dia e, muitas vezes, nos forçamos a introduzir mais deles, seja para substituir um hábito antigo, ou como forma de buscar uma vida melhor ou mais saudável, por exemplo.

A verdade é que para adquirir ou mudar um hábito, é necessário consistência e, por consequência, uma motivação forte para se manter firme até que o mesmo esteja intrínseco à rotina.

Hábitos e Motivações em 2020

E se tem uma coisa que 2020 nos ensinou foi a nos adaptar aos novos hábitos. Antes, por exemplo, eu saía de casa e conferia se estava com minha chave, celular e carteira. Hoje, a lista se estende também a minha inseparável máscara — depois de tê-la esquecido milhares de vezes e ter sido obrigada a voltar para casa para buscá-la. Como eu disse… consistência e motivação.

Com lockdowns indo e vindo por conta do COVID-19, cuidar dos nossos hábitos para manter a saúde física e mental acabou virando uma prioridade num ano tão atípico. Mas essa é uma tendência que já existe há alguns anos no Brasil. Nosso país é o segundo no ranking de número de academias, de acordo com a associação internacional IHRSA. Além disso, com o fechamento desses estabelecimentos e o distanciamento social, o país passou a ser o terceiro a baixar mais aplicativos do gênero fitness, conforme o artigo da Forbes, consequentemente gerando uma grande movimentação do mercado, na tentativa de suprir essa necessidade da população.

adidas Runtastic

A adidas Runtastic é uma empresa austríaca focada em dois aplicativos: um de corrida e outro de treino, ambos presentes em diversos países, somando milhões de usuários conectados em catorze idiomas.

Runtastic e adidas: uma comunidade global de atletas com poderes para fazer da saúde e do preparo físico uma prioridade.


Assim que nos demos conta da proporção do COVID-19, no começo deste ano, ainda não sabíamos como a pandemia afetaria os nossos usuários — atletas de diversos níveis — e suas interações com nossos aplicativos, principalmente o adidas Running, focado majoritariamente em esportes outdoors, como a corrida ou caminhada. Com isso, diversos times se mobilizaram para pensar em novas estratégias e ideias para nossos produtos.

Nós tivemos que flexibilizar e alterar o planejamento dos primeiros trimestres para focar nessa nova realidade. Além disso, vários workshops e brainstorms foram realizados entre os times de produto e diferentes squads para a geração de ideias que pudessem manter nossos atletas ativos com segurança. Neste caso, aprender a usar novas ferramentas para fazer com que nossas interações não fossem comprometidas no dia-a-dia trabalhando em casa foi essencial para fazer o trabalho fluir bem.

Com o home office, diversas reuniões regulares foram agendadas para garantir o alinhamento dos times não só em relação aos projetos, mas também para manter a conexão pessoal mesmo estando longe. O time de Design de Produto, por exemplo, tem o que chamamos de Design Lab, um dia no qual utilizamos para compartilhar aprendizados, realizar workshops, analisar processos que podem ser melhorados e confraternizar.

Desafios da Pandemia

Com base em pesquisas anteriores e no uso das nossas funcionalidades (features) dentro do aplicativo, sabemos que, além da motivação pessoal — seja ela criar um novo hábito ou atingir um objetivo específico, nossos usuários também são movidos por uma mudança maior, sistêmica, social. Um exemplo disso é a campanha Run For the Oceans, que vem de uma parceria entre adidas e adidas Runtastic, com a iniciativa do Parley Ocean School, com o objetivo de conscientizar a população sobre a poluição de plástico nos oceanos.

Como podemos então motivar as pessoas a atingirem seus objetivos fitness, ajudando na luta contra o COVID-19 mantendo, principalmente, todos são e salvos, respeitando a legislação de diferentes países?

Utilizamos então nossa feature de Desafios, já existente no app para alavancar a campanha #HomeTeamHero, que teve como objetivo unir a comunidade esportiva como um todo — atletas e marcas — em suporte aos profissionais da linha de frente no combate ao COVID-19. Essa feature consiste em diversos desafios com metas pré-estabelecidas de distância ou duração, podendo ser atingidas individual ou coletivamente, dependendo do desafio. Juntos (metaforicamente falando), cada hora de atividade física registrada através do nossos apps e de parceiros correspondia um dólar. Nosso objetivo, que felizmente foi alcançado, era acumular um milhão de horas em atividades, logo, um milhão de dólares foi doado para o Fundo de Resposta Solidária COVID-19 da OMS.

Outra consequência da pandemia foram os cancelamentos de eventos esportivos pelo mundo todo, como corridas de rua e maratonas. Sendo assim, o time de produto precisou pensar rapidamente em soluções para suprir essa nova demanda dos corredores, soluções essas que, apesar de rápidas, deveriam ser reaproveitadas num futuro cenário pós COVID-19. E foi assim que surgiu a feature de Corridas Virtuais, onde a ideia é simular um evento físico e oficial de corrida, com data e distância específica para o corredor completar o desafio e, ao fazê-lo, ganhar uma recompensa única, uma medalha digital.

Muitos países, no entanto, estavam em lockdown parcial ou absoluto durante o #HomeTeamHero e nas corridas virtuais. Por isso, foi de extrema importância a comunicação clara para que os atletas respeitassem as regras locais em prol da sua segurança, bem como a de sua comunidade.

“When COVID-19 struck in April 2020, it put most of the world into a full lockdown — no sporting events, no professional sports, no gyms, and an unclear path forward. The #HOMETEAMHERO Challenge was our response — a way to stay motivated, get fit, and have every minute of exercise count towards relief funds to health workers and researchers on the front line of the pandemic. In less than 10 days, adidas Runtastic and our partners enabled 1.7 million athletes to donate an additional US $ 1 million to the COVID-19 Solidarity Response Fund. It’s a great example of how when we work together, we can make an immediate impact on the world.”
– Scott Dunlap, CEO and General Manager at adidas Runtastic

O que 2021 nos traz

O #HomeTeamHero foi o maior evento esportivo virtual dos últimos anos, além disso, nossos usuários têm se engajado cada vez mais com as Corridas Virtuais. Isso nos mostra que apesar de todas as incertezas que pairavam durante o início de ambos os projetos, houve uma rápida adaptação ao cenário. Muitas vezes nós, enquanto designers, buscamos soluções mirabolantes, sendo que às vezes a resposta está logo ali, basta adaptá-la.

Apesar de esse ter sido um ano com muitas mudanças, sabe o que 2021 nos promete? Pois é, provavelmente ninguém sabe. Portanto, um hábito importantíssimo a ser levado em consideração para o ano que vem é a flexibilidade.

Mas o que é ser flexível? Na minha opinião, flexibilidade é estar aberto a aprender coisas novas, mas também aprender com os erros. É estar disposto a ouvir o outro, mas também a ouvir a si mesmo. A saúde física e mental dos nossos atletas são importantíssimas, porém muitas vezes, acabamos nos esquecendo da saúde das pessoas que estão por trás do produto. Pessoalmente, este foi um ano bastante desafiador em vários sentidos, e me fez perceber que eu precisava estabelecer novos hábitos para conseguir sobreviver a 2020: iniciar um plano de corrida, organizar melhor as informações e tarefas, começar terapia…

E você? Quais são os hábitos que você adquiriu esse ano e gostaria de levar com você para 2021?

Deploy.me
Desenvolva sua carreira em UX Design, Produto e Dados com bootcamps imersivos, práticos e de curta duração com facilitadores das principais startups do Brasil e do mundo. How. Skills, not degrees.
15%OFF código:
DESIGN2021

Explore outros temas

A visão de um designer que acredita na política do seu dia-a-dia aplicada a sociedade brasileira

Henrique Peixe
Henrique Peixe

Menos sobre nomenclaturas e mais foco no que precisa ser feito

Renan Manço
Renan Manço

Desobediências conceituais no Design

Andrei Gurgel
Andrei Gurgel

Uma carta para a Crítica

Vitor Amorim
Vitor Amorim

Design de experiência contra o racismo algorítmico

Polli Lopes
Polli Lopes

Se você quiser voar, precisa soltar o que te puxa para baixo

Tereza Alux
Tereza Alux

Métricas de UX: O que são, onde vivem e do que se alimentam?

Rafa Brandão
Rafa Brandão

Design do Amanhã

Natalí Garcia
Natalí Garcia

O Design e os trem por trás das coisa: Soft Skills, Multipotenciais e Polímatas

Brunão
Brunão

UX Research na Era Inteligente

Gabriel Bastos
Gabriel Bastos

O bom design durante os sintomas da pandemia

David Arty
David Arty

Inovação em design organizacional: como ser prático na prática? 🚀

Eduardo Maia
Eduardo Maia

UX e o Amanhã da Profissão

Amyris Fernandez
Amyris Fernandez

Empreender e pivotar na profissão designer

Marcelo Leal Felix
Marcelo Leal Felix

3 passos para mudança do mindset do time comercial

Rafael Xavier
Rafael Xavier

Confissões de um designer apaixonado

Jane Vita
Jane Vita

Como construir maturidade de Design em empresas em transformação digital

Bianca Faraj
Bianca Faraj

Faça seu design orientado por dados

Mumtaz Mesania
Mumtaz Mesania

O Product Designer está fora de forma?

Marco Moreira
Marco Moreira

Um convite para a auto-descoberta

Karen Tie
Karen Tie

O papel do designer na desconstrução do ciclo da invisibilidade

Joyce Rocha
Joyce Rocha

Pare de seguir os velhos padrões visuais

Raniel Oliveira
Raniel Oliveira

Receita de UX Designer

Leandro Rezende
Leandro Rezende

A síndrome de impostor no design, o “outro” inatingível e ambientes tóxicos

Thomas Castro
Thomas Castro

Subiu, e agora? Como medir o sucesso e a performance do Design

Fernanda Magalhães
Fernanda Magalhães

Perspectivas visuais e um conceito social (talvez) necessário

Eduardo Arce
Eduardo Arce

Preparando um time para o sucesso

David Pacheco
David Pacheco

Design, um esporte coletivo e colaborativo

Beto Lima
Beto Lima

21 coisas que tem que acabar em UX design para 2021

Rafaela de Souza da Silva
Rafaela de Souza da Silva

Uma nova visão holística do design

Bel Araújo
Bel Araújo

Precisamos falar sobre saúde mental em design

Marianna Piacesi
Marianna Piacesi

2021: um ano para recomeçar (?)

Koji Pereira
Koji Pereira

Liderança e Maternidade: Qualquer semelhança não é mera coincidência

Bruna Amancio
Bruna Amancio

Por uma comunidade de design mais aberta e colaborativa

Karina Tronkos
Karina Tronkos

O designer nômade

Leo Ehrlich
Leo Ehrlich

Design como ferramenta para um mundo melhor

Camila Moletta
Camila Moletta

Você aprende aquilo com que se importa

Denise Pilar
Denise Pilar

Design realmente centrado no humano

Nina Telles
Nina Telles

O design pode mudar o mundo

Renato Paixão
Renato Paixão

O Design no ano 21 do século 21: educação e trabalho pela cibercultura

André Grilo
André Grilo

Pensando design além da interface

Juliana Akemi Segawa Cangussu
Juliana Akemi Segawa Cangussu

A crescente importância de tudo o que não sabemos

Bruno Canato
Bruno Canato

Levei 8 anos para me definir como UX designer. E eu vou te contar como.

Lais Mastelari
Lais Mastelari

Que em 2021 tenhamos tempo, dinheiro e saúde para fazer a diferença

Thiago Hassu
Thiago Hassu

Como Designers estamos preparados para um mundo que precisa de regeneração?

Barbara Villar
Barbara Villar

Design não é para todos, mas pode ser

Valéria Romano
Valéria Romano

E se a inovação pudesse ser guiada por processos de design mais colaborativos?

Larisa Paes de Lima
Larisa Paes de Lima

Por que designers devem aprender No-Code em 2021?

Caio Calderari
Caio Calderari

Cultura de UX sob aspecto da linguagem

Melina Alves
Melina Alves

Design e cultura de experimentação

Leandro Lima
Leandro Lima

Vamos parar de falar em Produto e vamos falar em Design de Serviço?

Erico Fileno
Erico Fileno

Voltando às raízes para um design acessível

Maju Santos
Maju Santos

UX + LGPD. A privacidade do usuário na era dos dados

Hideki Katsumoto
Hideki Katsumoto

Finalmente uma descentralização geográfica do design brasileiro?

Larissa Trindade
Larissa Trindade

Design ético em pauta

Lucas Cruz
Lucas Cruz

Visualizando os dados da comunidade de UX no Brasil

Carolina Leslie
Carolina Leslie

Designer Produteiro

Robson Ramos
Robson Ramos

Não coma o marshmallow

Camila Borja
Camila Borja

Sou Designer, onde vou usar a fórmula de bháskara?

Rafael Miashiro
Rafael Miashiro

O futuro é plural

Paola Sales
Paola Sales

Design como fator de mudança para processos, cultura e maturidade nas empresas

Bruce Namatame
Bruce Namatame

Você já foi um designer iniciante, Design no interior e Michael Scott

Felipe Marinelli
Felipe Marinelli

"Fosse ou não à escola, eu estudava."

Ariana Dias Neves
Ariana Dias Neves

UI Designer? Deus me livre, mas quem me dera!

Adelmo Neto
Adelmo Neto

Designer é solucionador de problemas ou colonizador?

Fernando França
Fernando França

O conceito equivocado de público-alvo que exclui pessoas

Talita Pagani
Talita Pagani

A Maturidade do Designer UX

Ioná Dourado
Ioná Dourado

Designer Sobrevivente

Humberto Matos Valério da Silva
Humberto Matos Valério da Silva

ROI do Design e o Cafezinho

Felipe Melo Guimarães
Felipe Melo Guimarães

UX Writing: o desafio constante de aprender a se comunicar

Camila Gaidarji
Camila Gaidarji

Design Ético: como nós, pessoas que consomem e desenvolvem, podemos atuar

Bianca Brancaleone
Bianca Brancaleone

Sua experiência com o futuro do trabalho está diretamente relacionada a quanto você se conhece

Kpelo
Kpelo

O que 2021 promete, além da vacina? Design Ops e Acessibilidade!

Paulo Aguilera Filho
Paulo Aguilera Filho

Design é uma conversa cultural

Julia Nascimento
Julia Nascimento

Liderança em Design: 5 dicas para quem quer virar Líder de Design

Victor Zanini
Victor Zanini

Aprendizados para 2021 sobre a acessibilidade digital em 2020

Liliane Claudia
Liliane Claudia

As pegadinhas do nosso cérebro

Renata Carriel
Renata Carriel

O design não vai salvar o mundo! Ou vai?

Bruna Castro
Bruna Castro

Como quase ter virado um Product Manager me fez ser um Product Designer melhor

Filipe Bitencourt
Filipe Bitencourt

Multiculturalismo remoto

Tai Civita
Tai Civita

Co-design: Não é só sobre Design

Wander Vieira
Wander Vieira

POs e PMs e suas relações com acessibilidade

Livia Gabos
Livia Gabos

Liderança inclusiva, design e autoconhecimento

Thaly Sanches
Thaly Sanches

O Designer é a Interface - Desafios do design e experiência do usuário em tempos de isolamento social

Ubiratan Silva
Ubiratan Silva

Reflexões sobre a Escuta no Design de Experiências

Denise Rocha
Denise Rocha

Líderes do presente

Juliana Marcenal
Juliana Marcenal

Fale com o seu ambiente e as novas experiências conversacionais

Caio Calado
Caio Calado

Designers will design

Juliana Morozowski
Juliana Morozowski

É responsabilidade de quem?

Vinícius Gomes
Vinícius Gomes

Experiência do Usuário Surdo

Beatriz Lonskis
Beatriz Lonskis

Na contemporaneidade, o que não é design?

Isadora Ribeiro dos Santos
Isadora Ribeiro dos Santos

Design, liderança e ambientes seguros: reflexões e sugestões

Vinícius Vieira
Vinícius Vieira

UX Design não é modinha, é negócio

Luan Mateus
Luan Mateus

A Jornada do Mentor - Como se tornar um herói em UX

Sheylla Lima Souza
Sheylla Lima Souza

A antiga, porém nova verdade sobre DesignOps

Guilherme Gonzalez
Guilherme Gonzalez

Transição de carreira e diversidade

Liliane Oliveira
Liliane Oliveira

Design para um time

Thais Yabuuti
Thais Yabuuti

Como você enxerga o Design?

Monica Barros
Monica Barros

Como a escuta no Design vem se tornando uma aliada em uma sociedade mais inclusiva

Valéria Reis
Valéria Reis

Como vamos projetar serviços e produtos digitais na era da economia de vigilância?

Janayna Velozo
Janayna Velozo
não clique