Arquivo 2020

21 coisas que tem que acabar em UX design para 2021

Rafaela de Souza da Silva
UX Researcher na SumUp
Mulher, latina, bissexual, feminista, antirracista, antigordofobia, antilgbtifobia e anticapacitista

Pesquisadora da experiência do usuário, professora de UX Research, voluntária na TODXS, mãe de pet, catarinense e engajada nas luta contra o machismo, racismo, LGBTIfobia, gordofobia, capacitismo e pseudociência. Após o isolamento, também fazedora de bolos biscoitos e drinks.

Rafaela de Souza da Silva
Escute este artigo

Um tema descaradamente copiado do podcast Braincast

É final de 2020 e eu acho que é o momento de nós, designers, pararmos para refletir sobre nossas ações. Ainda mais num ano como esse, que você deve ter lavado a mão e depois pensado se deveria lavar o sabonete, que tenha dado muitos banhos em embalagens de batata palha e ainda possivelmente tenha perdido alguém para esse vírus, que fez todo mundo chamar essa tensão contínua de Home Office.

Eu vim então começar uma lista que definitivamente não vai estar acabada ao fim deste artigo: 

A lista de 21 coisas que tem que acabar em UX design para 2021:

1 Não aceitarem quando uma ideia é invalidada em pesquisa.

Os usuários odiaram o produto, mas como era um dia chuvoso a gente decidiu invalidar a pesquisa e continuar o lançamento.

2 Teste de usabilidade onde os participantes são 5 funcionários do marketing.

Sabe aquela tensão de estar se atrasando enquanto rola o feed do Instagram, mas continuar rolando mesmo assim, piorando a cada foto? É esse o sentimento que você está ignorando enquanto faz a apresentação com tudo o que você "aprendeu" no teste.

3 Workshop online que começa às 9 e termina às 19:00.

Ninguém merece tentar manter a atenção numa tela por tanto tempo, até uma maratona de todos os filmes de Star Wars em ordem cronológica precisa de pausas, e as vezes ser dividido em dois momentos.

4 Não reconhecer a realidade brasileira.

Seus usuários não são todos Faria Limers, não adianta pesquisar só em São Paulo - capital, nem achar que todo mundo sabe o que é um QR Code. Vale lembrar que 1 em cada 4 brasileiros não têm acesso à internet.

5 Penar pra conseguir uma lista de clientes para fazer recrutamento de pesquisa.

É só mandar email com a solicitação, fazer o treinamento da LGPD, instalar a VPN no seu computador, confirmar o pedido com compliance, pedir para a TI desbloquear a sua máquina e zerar Dark Souls.

6 Acharem que pesquisa se faz de um dia para o outro.

Um pesquisador, um product designer e um product manager; dois dias até o final da sprint e um pedido de pesquisa para guiar a próxima sprint. This is the hunger games!

7 Pessoas de negócios que não conseguem pensar no seu produto/serviço a médio ou longo prazo.

Quer fazer uma pesquisa estratégica, planejar o roadmap, o futuro do seu design system? Você que lute!

8 Dizer que design não é político

Pode ser num tratamento de imagem que clareia pessoas negras, numa equipe de design enorme composta apenas de homens brancos heterossexuais, num botão de desinscrição de uma newsletter que diz "não quero me manter informado", ou na sua tentativa de ser isentão, sua atividade como designer tem consequências cada vez maiores para a sociedade, e você precisa admitir isso e usar com responsabilidade o impacto que você tem nas mãos.

9 Gerar soluções com base em workshop interno ou em mapa de empatia feito internamente, sem consultar o usuário.

Design centrado nos profissionais da empresa.

10 Passar por milhares de burocracias só pra conseguir encontrar alguns clientes por 50 minutos para uma conversa gravada.

Se tem profissionais de segurança lendo, eles estão chorando. Mas às vezes a parte mais difícil do trabalho do UX designer não é UX design.

11 Brigar com CRM para conseguir enviar formulários por email, e no fim não conseguir muitas respostas.

Sua pesquisa vai interromper o envio de emails: "pink friday 2020", "pink friday 2020 últimos dias para comprar" e "você pediu e nós prorrogamos a pink friday 2020".

12 Não abrir vaga para junior, pedir inglês, um teste que demora horas pra ser feito, diploma em faculdade famosa, várias entrevistas em horário comercial e dizer que é difícil contratar de forma mais diversa.

Será que você não precisa diversificar o seu pensamento primeiro?

13 Ter que brigar pra conseguir verba para a recompensa dos participantes de pesquisa.

Se desloque da sua casa até nossa multinacional na Faria Lima para uma entrevista de 2h, você vai receber como recompensa a melhoria do serviço que você paga para usar.

14 Designer que ignora o design system e fica criando novos componentes sem necessidade

Ele é um designer inovador, barroco, muso do Tchan, primeiro de seu nome.

15 Pedido para repetir a pesquisa porque os stakeholders querem um resultado específico. 

O nome deste tipo de pesquisa é pesquisa quântica, por que é um conceito real sendo usurpado e distorcido para justificar terapias, digo, decisões que não vão dar certo.

16 Empresas inteiras só de homens brancos, heterossexuais, cisgêneros e completamente despreparados em cargos de liderança.

Requisito para a vaga: Pelo o menos 4 anos de brotheragem com dono da empresa na época da faculdade. 

Lembrou de alguém? Deve ser por que homens são promovidos por potencial enquanto mulheres por desempenho comprovado, por que 61% das pessoas LGBTI+s precisam esconder sua sexualidade no trabalho e por que 30% dos cargos de liderança são ocupados por pessoas pretas. Se olharmos para o mercado de UX, fica claro o quanto minorias sociais têm menos oportunidades de alcançar posições de liderança.

17 Ajustes de design deixados para próxima sprint.

O famoso a gente compra na volta. Quem nunca teve uma lágrima escorrendo quando, já tendo saído da empresa, abriu o aplicativo e descobriu que aquele ajuste finalmente foi implementado.

18 Amostra "aleatória"de pesquisa.

É um sistema ótimo em que você liga pra qualquer usuário e a sua amostra é quem aceitar primeiro, pode ficar tranquilo que não vai ter viés (aqui tem ironia).

19 Os cargos intermináveis no Linkedin. 

"Antônio dos Santos - UX designer / UX researcher / Design thinker / Business designer / Evangelista do design centrado no usuário"

Quando que "fulano, UX designer na empresa X" saiu de moda? 

20 Alteração de design por que alguém com cargo importante decidiu.

Fazer mil pesquisas mas no fim ter que seguir o coração de um diretor. Aquele momento que você pensa se não deveria mesmo ter feito engenharia civil.

21 Não reconhecer seus privilégios.

Design é uma profissão elitista onde o racismo, o machismo, a LGBTIfobia, o capacitismo e a gordofobia ou prejudicam ou facilitam a sua vida. Já que você deve ter, pelo menos, algum privilégio (afinal tem internet pra acessar esse conteúdo), que tal usar esse privilégio de forma consciente, se informar mais e tentar contribuir para minimizar as injustiças que te favorecem?

Eu listei 21 coisas que eu acho que tem que acabar em UX design para 2021, com  contribuições de Ariel Cardeal, Cecilia Henriques, Diana Fournier, Elizete Ignacio, Luiz Nascimento, Rafael Neves e Thiago Barcelos.

Mas essa lista é só o começo, eu adoraria ver essa lista crescer com mais contribuições, pra isso é só fazer uma continuação deste artigo.

Deploy.me
Desenvolva sua carreira em UX Design, Produto e Dados com bootcamps imersivos, práticos e de curta duração com facilitadores das principais startups do Brasil e do mundo. How. Skills, not degrees.
15%OFF código:
DESIGN2021

Explore outros temas

UX e o Amanhã da Profissão

Amyris Fernandez
Amyris Fernandez

Aprendizados para 2021 sobre a acessibilidade digital em 2020

Liliane Claudia
Liliane Claudia

O design não vai salvar o mundo! Ou vai?

Bruna Castro
Bruna Castro

A crescente importância de tudo o que não sabemos

Bruno Canato
Bruno Canato

A inevitável mudança do Design no "pós-pandemia"

Thoz
Thoz

Como Designers estamos preparados para um mundo que precisa de regeneração?

Barbara Villar
Barbara Villar

Métricas de UX: O que são, onde vivem e do que se alimentam?

Rafa Brandão
Rafa Brandão

Transição de carreira e diversidade

Liliane Oliveira
Liliane Oliveira

As pegadinhas do nosso cérebro

Renata Carriel
Renata Carriel

O design pode mudar o mundo

Renato Paixão
Renato Paixão

Receita de UX Designer

Leandro Rezende
Leandro Rezende

ROI do Design e o Cafezinho

Felipe Melo Guimarães
Felipe Melo Guimarães

Design como ferramenta para um mundo melhor

Camila Moletta
Camila Moletta

Designers will design

Juliana Morozowski
Juliana Morozowski

Você aprende aquilo com que se importa

Denise Pilar
Denise Pilar

Uma carta para a Crítica

Vitor Amorim
Vitor Amorim

Liderança inclusiva, design e autoconhecimento

Thaly Sanches
Thaly Sanches

Fale com o seu ambiente e as novas experiências conversacionais

Caio Calado
Caio Calado

POs e PMs e suas relações com acessibilidade

Livia Gabos
Livia Gabos

A síndrome de impostor no design, o “outro” inatingível e ambientes tóxicos

Thomas Castro
Thomas Castro

Preparando um time para o sucesso

David Pacheco
David Pacheco

O bom design durante os sintomas da pandemia

David Arty
David Arty

O Designer é a Interface - Desafios do design e experiência do usuário em tempos de isolamento social

Ubiratan Silva
Ubiratan Silva

"Fosse ou não à escola, eu estudava."

Ariana Dias Neves
Ariana Dias Neves

E se a inovação pudesse ser guiada por processos de design mais colaborativos?

Larisa Paes de Lima
Larisa Paes de Lima

Design ético em pauta

Lucas Cruz
Lucas Cruz

UX Writing: o desafio constante de aprender a se comunicar

Camila Gaidarji
Camila Gaidarji

A Maturidade do Designer UX

Ioná Dourado
Ioná Dourado

Liderança em Design: 5 dicas para quem quer virar Líder de Design

Victor Zanini
Victor Zanini

Finalmente uma descentralização geográfica do design brasileiro?

Larissa Trindade
Larissa Trindade

Empreender e pivotar na profissão designer

Marcelo Leal Felix
Marcelo Leal Felix

Pensando design além da interface

Juliana Akemi Segawa Cangussu
Juliana Akemi Segawa Cangussu

Designer Sobrevivente

Humberto Matos Valério da Silva
Humberto Matos Valério da Silva

Reflexões sobre a Escuta no Design de Experiências

Denise Rocha
Denise Rocha

Design, um esporte coletivo e colaborativo

Beto Lima
Beto Lima

Design do Amanhã

Natalí Garcia
Natalí Garcia

Precisamos falar sobre saúde mental em design

Marianna Piacesi
Marianna Piacesi

Sou Designer, onde vou usar a fórmula de bháskara?

Rafael Miashiro
Rafael Miashiro

Co-design: Não é só sobre Design

Wander Vieira
Wander Vieira

Subiu, e agora? Como medir o sucesso e a performance do Design

Fernanda Magalhães
Fernanda Magalhães

Multiculturalismo remoto

Tai Civita
Tai Civita

Uma nova visão holística do design

Bel Araújo
Bel Araújo

Inovação em design organizacional: como ser prático na prática? 🚀

Eduardo Maia
Eduardo Maia

Desobediências conceituais no Design

Andrei Gurgel
Andrei Gurgel

A motivação por trás de novos hábitos

Nathalia Cabral
Nathalia Cabral

Experiência do Usuário Surdo

Beatriz Lonskis
Beatriz Lonskis

UX Research na Era Inteligente

Gabriel Bastos
Gabriel Bastos

Sua experiência com o futuro do trabalho está diretamente relacionada a quanto você se conhece

Kpelo
Kpelo

Cultura de UX sob aspecto da linguagem

Melina Alves
Melina Alves

Design e cultura de experimentação

Leandro Lima
Leandro Lima

3 passos para mudança do mindset do time comercial

Rafael Xavier
Rafael Xavier

Design como fator de mudança para processos, cultura e maturidade nas empresas

Bruce Namatame
Bruce Namatame

Design para um time

Thais Yabuuti
Thais Yabuuti

Confissões de um designer apaixonado

Jane Vita
Jane Vita

Designer Produteiro

Robson Ramos
Robson Ramos

UX Design não é modinha, é negócio

Luan Mateus
Luan Mateus

Vulnerabilidade e o primeiro passo contra a impostora

Tamy Lemos
Tamy Lemos

Que em 2021 tenhamos tempo, dinheiro e saúde para fazer a diferença

Thiago Hassu
Thiago Hassu

Pare de seguir os velhos padrões visuais

Raniel Oliveira
Raniel Oliveira

Por uma comunidade de design mais aberta e colaborativa

Karina Tronkos
Karina Tronkos

Como construir maturidade de Design em empresas em transformação digital

Bianca Faraj
Bianca Faraj

Um convite para a auto-descoberta

Karen Tie
Karen Tie

UI Designer? Deus me livre, mas quem me dera!

Adelmo Neto
Adelmo Neto

Como quase ter virado um Product Manager me fez ser um Product Designer melhor

Filipe Bitencourt
Filipe Bitencourt

O conceito equivocado de público-alvo que exclui pessoas

Talita Pagani
Talita Pagani

É responsabilidade de quem?

Vinícius Gomes
Vinícius Gomes

Design não é para todos, mas pode ser

Valéria Romano
Valéria Romano

Como vamos projetar serviços e produtos digitais na era da economia de vigilância?

Janayna Velozo
Janayna Velozo

A Jornada do Mentor - Como se tornar um herói em UX

Sheylla Lima Souza
Sheylla Lima Souza

2021: um ano para recomeçar (?)

Koji Pereira
Koji Pereira

O papel do designer na desconstrução do ciclo da invisibilidade

Joyce Rocha
Joyce Rocha

Design realmente centrado no humano

Nina Telles
Nina Telles

Visualizando os dados da comunidade de UX no Brasil

Carolina Leslie
Carolina Leslie

O que 2021 promete, além da vacina? Design Ops e Acessibilidade!

Paulo Aguilera Filho
Paulo Aguilera Filho

O Design no ano 21 do século 21: educação e trabalho pela cibercultura

André Grilo
André Grilo

Não coma o marshmallow

Camila Borja
Camila Borja

Voltando às raízes para um design acessível

Maju Santos
Maju Santos

Design Ético: como nós, pessoas que consomem e desenvolvem, podemos atuar

Bianca Brancaleone
Bianca Brancaleone

UX + LGPD. A privacidade do usuário na era dos dados

Hideki Katsumoto
Hideki Katsumoto

A antiga, porém nova verdade sobre DesignOps

Guilherme Gonzalez
Guilherme Gonzalez

A visão de um designer que acredita na política do seu dia-a-dia aplicada a sociedade brasileira

Henrique Peixe
Henrique Peixe

Como a escuta no Design vem se tornando uma aliada em uma sociedade mais inclusiva

Valéria Reis
Valéria Reis

O designer nômade

Leo Ehrlich
Leo Ehrlich

Design é uma conversa cultural

Julia Nascimento
Julia Nascimento

Menos sobre nomenclaturas e mais foco no que precisa ser feito

Renan Manço
Renan Manço

Design de experiência contra o racismo algorítmico

Polli Lopes
Polli Lopes

Vamos parar de falar em Produto e vamos falar em Design de Serviço?

Erico Fileno
Erico Fileno

Designer é solucionador de problemas ou colonizador?

Fernando França
Fernando França

O Design e os trem por trás das coisa: Soft Skills, Multipotenciais e Polímatas

Brunão
Brunão

O futuro é plural

Paola Sales
Paola Sales

Você já foi um designer iniciante, Design no interior e Michael Scott

Felipe Marinelli
Felipe Marinelli

Design, liderança e ambientes seguros: reflexões e sugestões

Vinícius Vieira
Vinícius Vieira
não clique